O mundo profissional está passando por mais uma grande revolução e grande parte das pessoas ainda não se atentaram e não estão se preparando para essa nova realidade. Pare por um minuto e pense: quantas profissões que existiam e que sumiram? E quantas profissões novas que estão aparecendo. Por falar nisso, como está a sua atividade profissional? Está em crescimento ou em declínio?

Agora uma outra importante reflexão, dessas novas profissões que estão surgindo, repare que grande parte priorizam o ser empreendedor. Por sinal, se reparar em nossa nova geração se observará que essa é mais empreendedora. Diante de um quadro de instabilidade, muitas atividades estão se reinventando. Esqueça os trabalhos analógicos, lembre-se que quem trabalha como uma máquina será substituído por uma máquina.

O mundo vem se automatizando de tal forma que cada vez se potencializa trabalhos que utilizem o raciocínio e a inovação e vejo isso de forma muito otimista, vendo um mundo de possibilidade. Contudo, também é preciso ficar preocupado. É preciso buscar por uma melhor qualificação, ou até mesmo a mudança dessa atividade para outra.

Em momentos de crise a questão se agrava ainda mais. Pois as empresas que contratam estão repensando suas estruturas e principalmente seus modelos de trabalho, que também está muito mais digital, já está havendo um crescimento acelerado do trabalho home-office. Os desafios não param.

Como profissional da Educação Financeira, afirmo que essa reinvenção também atinge nossa área. E falo que independente da área, o segredo para do profissional será se perceberem como empreendedor de sua vida. Mas não pense que ser empreendedor se refere apenas a ter seu negócio.

Em meu livro Empreender vitorioso com sonhos e lucro em primeiro lugar, apresento um novo conceito do empreender, em que o foco está nas empresas negócio e família. Posso assim dizer que empreender é triunfar, aliado à missão de cada um, nos universos pessoal e profissional, com fundamentos estruturados, na busca contínua de resultados em primeiro lugar.

Ou seja, no mundo atual ser um empreendedor é ter a percepção de que independentemente da posição que ocupe, você tem que estar sempre investindo em seu futuro profissional. E ser um real empreendedor nesse novo mundo depende de desenvolver qualidades como liderança, autopersuasão, sonhos, resiliência, autoconfiança, otimismo, eficácia e eficiência.

Dito isso, finalizo essa reflexão afirmando que para o profissional do futuro não bastará qualificação técnica, é fundamental não ficar parado e buscar novos conhecimentos, caso contrário uma coisa é certa, você não estará qualificado para esse novo mundo profissional.

Reinaldo Domingos é PhD em Educação Financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira. Está a frente do canal Dinheiro à Vista, é colunista do de diversos meios de comunicação. Autor de diversos livros sobre o tema, como o best-seller Terapia Financeira e o livro lançamento Por que enfrentamos crises e não estamos preparados? (Editora DSOP)